Sedação no Consultório Odontológico: POR QUE FAZER?

A assistência odontológica tranquila, mesmo em pacientes fóbicos, está diretamente relacionada ao controle da dor, do medo e da ansiedade. O controle dos fatores estressores é de suma importância na odontologia, a fim de garantir um procedimento realizado com qualidade, de forma segura e eficiente, visando principalmente a prevenção de emergências médicas no ambiente odontológico.

 

Existem vários métodos disponíveis ao cirurgião-dentista para melhorar o manejo do medo e da ansiedade do paciente, sendo elas as técnicas não farmacológicas  (manejo da voz, falar, mostrar, fazer, estabilização protetora) ou farmacológicas. Nas técnicas farmacológicas são utilizados fármacos com a finalidade de reduzir o estado de consciência do paciente, procedimento denominado sedação. Várias são as técnicas de sedação que podem e devem ser utilizadas pelo cirurgião-dentista para redução do estresse relacionado ao ambiente odontológico em adultos ou crianças, favorecendo o tratamento e a relação de confiança entre o profissional e seu paciente. Dentre as mais utilizadas em Odontologia estão a sedação inalatória, com a mistura de óxido nitroso e oxigênio, além das técnicas de sedação que utilizam principalmente fármacos ansiolíticos, por via oral, intranasal, ou ainda intravenosa. A técnica a ser utilizada deve ser criteriosamente selecionada, a fim de fornecer o mais adequado meio de controle da ansiedade para cada paciente individualmente.

 

Os medicamentos mais empregados para sedação mínima a moderada em odontologia são os benzodiazepínicos, como o midazolam, um sedativo-hipnótico que tem como suas principais vantagens um rápido início de ação, meia vida curta e uma duração de sedação adequada. Desse modo, a recuperação do paciente após o atendimento é rápida e com alta margem de eficácia e segurança.

 

O monitoramento do paciente no período pré, trans e pós-operatório é fundamental para o adequado manejo do paciente durante o atendimento. O profissional deve estar sempre treinado e preparado para solucionar possíveis emergências médicas relacionadas ao ambiente odontológico, seja em procedimentos com ou sem sedação.

 

Controlar a dor, o medo e a ansiedade do paciente é um dever do profissional e um direito de quem vai ser atendido.

sedação em odontologia

 

Dra. Adriana de Sales Cunha Correia

 

Profa. Dra. Adriana de Sales Cunha Correia
CRO: 77.463
E-mail: dricunhacorreia@yahoo.com.br

Mestre e Doutora em Odontopediatria pela FOA-UNESP.
PhD em Microbiologia pela FOA-UNESP.
Pós-doutorado em Microbiologia pela FOA-UNESP (2015).
Habilitação para Sedação Inalatória com Óxido Nitroso desde 2006
Professora de Sedação medicamentosa em Odontologia -NEOM-RB

 

Informações complementares www.neom-rb.com.br