Coleta de células tronco em dente decíduo: O papel do Dentista

celula tronco dente decíduo

Célula-tronco é uma célula capaz de se autorrenovar e de se transformar em vários tipos de células que formam os diferentes tecidos do corpo humano. Por esta razão, estas células são capazes de regenerar órgãos e tecidos lesionados, promovendo a recuperação dos mesmos.

O uso terapêutico dessas células promete maior longevidade com qualidade de vida e por conta disso vem sendo muito estudado em centros de pesquisa de todo mundo.

Vários locais do corpo apresentam estas células, inclusive os dentes decíduos, que têm a vantagem de em uma determinada idade ser facilmente obtidos e acondicionados.

As células tronco mesenquimais da polpa do dente de leite são células jovens e apresentam grande potencial de proliferação. Também atuam na regeneração de tecidos danificados e são capazes de se transformar primordialmente em osso, gordura, tendão, cartilagem e músculo.

A coleta é feita de  forma natural durante o período de troca dos dentes (5 a 12 anos) e estas células  uma vez coletadas são armazenadas em tanques de nitrogênio líquido a -196°C, podendo permanecer assim por tempo indeterminado.

Entretanto esta coleta deve ser realizada por um dentista devidamente habilitado para tal, pois a contaminação da polpa pode levar a perda das células desejadas. É um procedimento simples e realizado no próprio consultório odontológico.

A coleta é feita a partir de um único dente com mobilidade: o dente é extraído e colocado em um tubo próprio e enviado ao Centro de Criogenia.

Atualmente, mais de 400 ensaios clínicos estão sendo realizados em todo o mundo com estas células de origem dental, estes estudos em andamento são bastante promissores.

Infelizmente os tratamentos com células tronco no Brasil ainda não são regulamentados.    Aberturas da ANVISA e do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA permitem que em casos isolados sejam autorizados através de “USO COMPASSIVO”, ou seja, casos sem esperança de tratamento convencional.

Nestes casos de uso compassivo, existem pacientes que com poucos meses de tratamento obtiveram respostas extraordinárias.

 

Por que realizar a coleta da polpa de dente decíduo?

  • As células são imuno compatíveis, ou seja, podem servir não só para a criança, mas também a toda família.
  • São ideais para futuros tratamentos de doenças autoimunes: artrite reumatoide, lúpus, esclerose múltipla, miastenia, distrofia muscular esclerose lateral amiotrófica.
  • Também poderão ser utilizadas para futuros tratamentos de doenças degenerativas como Alzheimer e Parkinson.
  • Doenças relacionadas a degeneração de tecidos também poderão ser beneficiadas, como: diabetes tipo l, insuficiência cardíaca, infarto agudo, derrame, trauma raquimedular, doenças hepáticas, reconstrução de córnea tecidos destruídos por radioterapia ou quimioterapia.

Dra Fabiana Porsani, CROSP: 64 150

Aluna do Curso de Especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares na NEOM-RB.

Fonte: Centro de Criogenia Brasil

Clique aqui para acessar o site da NEOM-RB

Comments

comments

Germano Brandão

View more posts from this author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>